sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Solução para quem remove kernel por engano no ubuntu

Antes da dica vamos a um pouco de história, com base no título, é fiz mais uma das minhas, não reparei e removi o kernel que estava por padrão também. Bem vamos a questão, que precisaremos é claro de um sistema em modo "live" seja DVD ou pendrive e dando o "boot" por um deles a primeira parte é abrir o terminal e:
sudo fdisk -l
 Descobrir qual a partição que o sistema danificado está (aqui usarei meu exemplo em (/dev/sdb6) altere conforme sua partição
sudo mount /dev/sdxX /mnt
 Onde X é o número de sua partição. A partir daqui pode copiar e colar os comandos abaixo:
sudo mount  --bind /dev /mnt/dev
sudo mount --bind /proc /mnt/proc
sudo mount --bind /sys /mnt/sys
sudo cp /etc/resolv.conf /mnt/resolv.conf
Você precisará editar o arquivo "resolv.conf" para que você possa usar o APT depois do chroot, coloque nesse arquivo o OpenDNS

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Preparando o sistema para criar um pacote RPM

Aula - 1

Nessa dica vamos aprender a preparar o sistema para podermos criar um pacote RPM.
Claro que mesmo em um Debian, ou mesmo no Ubuntu isso também é possível, mas por hora não vamos para esse lado mais técnico, usando então uma distribuição baseada em RPM (PCLinuxOS, Mageia, Fedora, OpenSUSE, etc.), iremos abrir o terminal, para assim entendermos como as coisas vão se construindo.

E aqui estou usando o PCLinuxOS e em algumas das distros mencionadas nessa postagem eu realmente não conheço os comandos e então vou citar apenas dois exemplos que são para o PCLOS e Fedora:

No terminal o primeiro passo para isso é:

No PCLinuxOS
# apt-get update ; apt-get install easyrpmbuilder
No Fedora
$ sudo dnf install rpmdevtools rpmlint
 Feito isso o terminal irá instalar os compiladores necessários, depois de terminada a instalação ressalto que se você estiver como root "#" no terminal volte para usuário comum, pois de agora em diante tudo é feito assim, como usuário comum, então agora vamos criar a árvore de diretórios necessária para o empacotamento:

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Teclados e idiomas no Linux (Debian e Debian Likes)

Boa noite a todos,

Ainda hoje vejo com certa frequência a reclamação de acentuação e etc em algumas distros, aqui vamos falar das possibilidades de corrigir isso no Debian e nas distros baseadas neste ou seja, ubuntu, Linux Mint, etc., para isso vamos usar o terminal, mas nada de susto por causa disso hein pessoal, já que até no Windows ele está presente, só que lá não com tanto poder.

Começaremos reconfigurando a "locales"
sudo dpkg-reconfigure locales
Dois passos. No primeiro pode-se desmarcar a maioria das entradas. O que fica são en_US.UTF-8 e pt_BR.UTF-8.
No segundo se escolhe a locale padrão do root (pt_BR.UTF-8).
sudo dpkg-reconfigure console-setup
  • UTF-8
  • Combinado-Latino; Eslavo Cirirlico; Grego 
  • Não mude a fonte do kernel/inicialização

Para tanto, as vezes por motivos desconhecidos há que se reconfigurar o layout do teclado:
  sudo dpkg-reconfigure keyboard-configuration 
Todo cuidado, senão você terá que ir testando muitas configurações, por exemplo a do meu netbook é:
  • PC (Intl) Genérico de 105 teclas
  • Portugês do Brasil
  • O padrão para o layout do teclado  
  • Sem tecla compose 
Usar Control+Alt+Backspace para terminar o servidor X?
  • A sua escolha. Eu escolho sim. 
Ou então efetuando este comando:   
sudo setxkbmap -model abnt2 -layout br -variant abnt2
PS: Este comando acima também pode servir na maioria das distros, portanto é sempre bom ter ele guardado ai no seu bloco de notas

E para finalizar configurar o fuso horário:
sudo dpkg-reconfigure tzdata
  • América
  • Belém ("Minha região, estado do Pará")
SEMPRE BOM VERIFICAR O ARQUIVO:
 Verificar se no arquivo "/etc/default/locale" tem o conteúdo:
  • LANG="pt_BR.UTF-8"  
  • LANGUAGE="pt_BR:" 
Podendo ficar assim:  
LANG="pt_BR.UTF-8"
LANGUAGE="pt_BR.UTF-8"
LC_MESSAGES="pt_BR.UTF-8"
LC_CTYPE="pt_BR.UTF-8"
LC_COLLATE="pt_BR.UTF-8"
LC_ALL="pt_BR.UTF-8"
LC_NUMERIC="pt_BR.UTF-8"
LC_TIME="pt_BR.UTF-8"
LC_MONETARY="pt_BR.UTF-8"
LC_PAPER="pt_BR.UTF-8"
LC_NAME="pt_BR.UTF-8"
LC_ADDRESS="pt_BR.UTF-8"
LC_TELEPHONE="pt_BR.UTF-8"
LC_MEASUREMENT="pt_BR.UTF-8"
LC_IDENTIFICATION="pt_BR.UTF-8" 
Minhas referências para essa descoberta:
  1. A principal referência é um fórum que saiu do ar o Fórum siduction Brasil.
  2. Fórum Linux Mint Brasil 
  3. Wiki Linux Mint Brasil - By Creto 
Até a próxima...

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Comando xrandr para alterar resolução inexistente para o monitor

xrandr

Primeiro um pouco da minha história, precisei e busquei isso a uns dois anos atrás quando eu tinha um Netbook Asus 1011CX, Intel Atom com 1 GB de RAM, e a resolução 1280x720 ficava ruim para a tela, assim como agora em um outro PC com o mesmo Intel Atom tenho o mesmo problema de resolução, tanto quanto que aparecem dois monitores como se fosse um notebook com um outro monitor VGA conectado.
Dito isso, vamos a dica que para um bom uso e visualização nesse PC, da mesma forma que eu usava no netbook a anos atrás, eu alterava para 1280x800.

DICA

Abra o terminal primeiramente e comande para verificar as saídas:
xrandr
Você terá uma saída mais ou menos como a minha, porém a minha servira para você apenas como exemplo, já que como eu disse anteriormente aqui parece que tenho dois monitores conectados, quando na verdade tenho apenas um VGA:

GIMP

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Dica rápida para mudar a sources.list de uma versão para outra

Boa tarde aos leitores!

Introdução

Uma vez lá atrás, acho que em 2011 eu tive a curiosidade de usar uma versão antiga do Ubuntu, CD que tenho até hoje o do Feisty Fawn 7.04 só para ver como era, já que comecei a usar o GNU/Linux apenas no final de 2010, o ubuntu já estando na versão 10.10 Maverick Merkat. Curiosidade é uma coisa que me faz tentar, tentar e tentar até eu conseguir, ou me decepcionar, mas tento.
Eu já estava cadastrado no Fórum Ubuntu - PT e fiz a pergunta, quando um dos usuários daquele fórum me respondeu: "Sim, pode instalar, qual o problema nisto?" Logo dai pensei: _para ele é fácil dizer isso. Mas este usuário não apenas por esta resposta, mas por todo o conteúdo que ele escreveu naquele fórum nutriu em mim uma grande admiração pela inteligência e prestatividade.
Chega de história e como me foi dito: "mão a obra".

A dica:
Digamos que eu tenha o Ubuntu 14.04 instalado e queira passar para a versão mais recente lançada depois do 14.04, ou seja o 14.10 (que estará aqui apenas para exemplo, pois não tem mais suporte), eu teria que mudar a sources.list do 14.04, essa abaixo:
###### Ubuntu Main Repos
deb http://55.archive.ubuntu.com/ubuntu/ trusty main restricted universe multiverse

###### Ubuntu Update Repos
deb http://55.archive.ubuntu.com/ubuntu/ trusty-security main restricted universe multiverse
deb http://55.archive.ubuntu.com/ubuntu/ trusty-updates main restricted universe multiverse
deb http://55.archive.ubuntu.com/ubuntu/ trusty-proposed main restricted universe multiverse
deb http://55.archive.ubuntu.com/ubuntu/ trusty-backports main restricted universe multiverse
Eu teria ai duas opções:

- A primeira seria abrir como super usuário a sources.list com um editor de texto avançado (gedit, kate, mousepad, etc.) e alterar o codinome de um por na sources.list

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Instalando o Java 8 JDK/JRE no Ubuntu 14.04/16.04 LTS

Começo explicando que a instalação do Java JDK pode ser feita através do repositório “WebUpd8” team | Java para Ubuntu o qual não entrarei em detalhes aqui pelo fato de que vamos instalar manualmente sem o uso do "PPA", dito isso vamos a pare boa..., mão na massa.

Download para 32 bits

wget --no-cookies --no-check-certificate --header "Cookie: gpw_e24=http%3A%2F%2Fwww.oracle.com%2F;
oraclelicense=accept-securebackup-cookie" "http://download.oracle.com/otn-pub/java/jdk/8u101-b13/jdk-8u101-linux-i586.tar.gz"
 Download para 64 bits

wget --no-cookies --no-check-certificate --header "Cookie: gpw_e24=http%3A%2F%2Fwww.oracle.com%2F;
oraclelicense=accept-securebackup-cookie" "http://download.oracle.com/otn-pub/java/jdk/8u101-b13/jdk-8u101-linux-x64.tar.gz"
Agora vamos criar a pasta onde o Java JDK irá ser instalado: